Top menu Portuguese

Launched in Caux, Switzerland by the Hon Anna Abdallah Msekwa of Tanzania
Quem somos nós
Lançada em Caux, Suíça, pela honorável Anna Abdallah Msekwa, da Tanzânia

Histórico

A iniciativa de Criadoras de Paz (CoP) foi lançada em 1991 no centro de conferências de Iniciativas de Mudança, em Caux, Suíça, pela honorável Anna Abdallah Msekwa, da Tanzânia, uma política respeitada e líder de organizações de mulheres em seu país. Em seu discurso de posse, ela pediu a todos para “criar a paz onde quer que estejamos, em nossos corações, em nossas casas, em nosso local de trabalho e em nossa comunidade. Todos nós culpamos alguém de ser a pedra no sapato... Poderia esse alguém ser eu mesma?”

CoP é agora uma rede global de pessoas que trabalham em diferentes continentes através de Círculos de Criadoras de Paz, oficinas, encontros pessoais, atividades de construção de comunidades e conferências internacionais – Caux, na Suíça, em 1991 e 1994, Índia em 2001, Uganda em 2005 e Austrália em 2009. Uma delegação participou da Conferência das Mulheres, da ONU, em Pequim (1995).

Criadoras de Paz Internacional introduziu um novo modelo de governança.

Uma característica deste novo modelo é que as coordenadoras internacionais (até dez) que administram Criadoras de Paz assumem, cada uma, a responsabilidade de uma função específica ou portfólios para servir à rede mundial. Estas são: Presidente, Secretária, Tesoureira, 2 Coordenadoras  Nacionais de Interlocução, Comunicações, Programas, Ação Social e Captação de Recursos. As Equipes de Trabalho do Portfólio estarão apoiando cada Coordenadora Internacional em sua área de responsabilidade.

Sob o novo modelo de governança de Criadoras de Paz, nove novas coordenadoras internacionais foram eleitas na Assembleia-Geral (AGM), em 9 de julho de 2013, em Caux, Suíça.

Mais informações

Objetivos

  • Envolver as mulheres no seu papel de criadoras de paz em todos os níveis da sociedade
  • Promover a dinâmica transformadora de uma mudança de coração, a começar por si mesma, como uma ferramenta primária de criação de paz
  • Antecipar-se à violência e ao desespero, abordando as raízes do conflito, dentro e em torno de nós
  • Incentivar e conectar profissionais existentes da construção da paz
  • Aumentar a conscientização sobre o pré-requisito moral e espiritual para uma ação social efetiva
  • Construir comunidades justas, solidárias e inclusivas para todos.

A história do logotipo

O logotipo de CoP e o poema A Roda da Energia, que pertence ao logotipo, foram ambos criados em 1994 na conferência “Criadores da Paz - Da Visão para a Ação”, em Caux, na Suíça, pela artista holandesa Hester Mila-Groeneweg:

DA VISÃO À AÇÃO – Logotipo de Criadoras de Paz. Pessoas de mãos dadas e firmes em torno de um círculo de luz, silêncio e inspiração. Fora do círculo, chamas irradiam em seus corações e feixes de luz passam por suas mãos, enviando-os para o mundo com uma visão.

A roda da energia

A Luz Eterna almeja ser incorporada em nós,
anseia tornar-se uma vela de incandescência nos corações
que são humildes,
corações que estão abertos,
firmes,
ouvindo e obedecendo.
Corações que são carinhosamente dados a essa luz.

Quando esses corações se unem
a roda da energia começa a girar
lançando-os para fora em distâncias desconhecidas
como grupo e como indivíduos a locais desconhecidos.

Eles podem criar a ordem e a paz em seguida.

Faça com que nos tornemos construtores de Paz,
em última análise, doadores de Paz.

Finanças

Até os dias de hoje, Criadoras de Paz tem atraído fundos em grande parte de doações individuais. Como o próprio programa se expande, CoP está buscando ampliar seus financiamentos para incluir fundações, governos, organizações internacionais e corporações. As atividades são realizadas principalmente por voluntários. O financiamento é principalmente necessário para:

  • Unir mulheres de diferentes partes do mundo, ou mesmo apenas dentro de uma comunidade, para esses encontros transformadores.
  • Visitas de acompanhamento e programas.
  • Desenvolvimento de materiais, p.e. publicação de literatura de Círculos de Paz.