Notícias

CoP International Coordination Team 2016

Conheça as novas coordenadoras de Criadoras de Paz Internacional

quarta-feira, 16. Novembro 2016

Conheça as novas coordenadoras de Criadoras de Paz Internacional

Nossos coordenadores internacionais vêm de diferentes países e juntos fiscalizaram o trabalho da Criadoras de Paz pelo mundo, tanto para apoiar nosso trabalho de facilitação e treinamento, como também para assegurar a boa governança de nossos recursos. Eles foram eleitos em Agosto de 2016 em nossa Assembleia Geral Anual.

Diana DamsaDiana Damsa, Romênia

Eu me interessei pelo programa Criadoras de Paz desde meu estágio com Iniciativas de Mudança Austrália em 2007. Tornei-me mais envolvida em 2009, quando organizamos o primeiro Círculos de Criadores de Paz Romênia. Desde então, organizamos 8 Círculos de Criadoras de Paz, além de alguns encontros e eventos de continuação, desenvolvemos uma rede de mulheres conectadas e empoderadas para assumir mais responsabilidades em suas comunidades. Em 2015, me juntei ao Portfolio de Treinamento de Programas e me tornei uma treinadora de facilitadores. Este crescimento em envolvimento aconteceu de forma orgânica e como um desenvolvimento natural de toda minha experiência com IdeM. Eu acredito que posso apoiar ainda mais o programa Criadoras de Paz, assumindo mais responsabilidades e disponibilizando mais tempo para um programa em que acredito fortemente.

 

Luz Stella CamachoLuz Stella Camacho Castro, Colombia

Eu amo facilitar e acompanhar mulheres em seus processos de se tornar responsáveis por curar suas próprias dores e iluminar sua escuridão. Meu maior desejo é ver mais e mais mulheres sentando em um círculo, honrando sua própria história de vida e se tornando sementes de cura para outras mulheres. Mulheres conectadas com o poder de amor da Mãe Terra e seus ciclos, doadoras de vida e suas protetoras em todas suas manifestações e que irão estar certas de sua sabedoria interior para inspirar irmandade entre nós sob a proteção de Luz de Deus. Eu facilitei workshops, encontros e círculos de mulheres por 8 anos com grupos de até 100 mulheres. Para apoiar os processos eu uso ferramentas e métodos que tem sido efetivos em meu próprio caminho, muitos deles inspirados por mulheres. Desde o trabalho de corpo, que traz silêncio para se poder ouvir e soltar as memórias de dor, para explorar a linhagem ancestral e curar as feridas antigas de desconexão com a Natureza e seus ciclos, assim como meditações e respiração consciente. Eu recebi o lindo presente de participar em um Círculo da Criadoras de Paz e fiquei profundamente tocada por sua profundidade e simplicidade. Eu então facilitei meu primeiro Círculo de Paz com Helena Von Armin em Bogotá.

Viver a paz para mim significa trabalhar todos os dias em minha própria escuridão, minha própria guerra interior, tentando aceitar o que for que emane com consciência para espalhar uma atmosfera de amor e gratidão por meu caminho com a Divina Presença de Deus. Além disso, eu amo criar encontros para curar relacionamentos entre pessoas.

 

María Cristina MuñozMaria Cristina Muñoz, Brasil

Eu pertenço a Iniciativas de Mudança desde o início do século e tenho trabalhado período integral para IdeM desde 2014, compartilhando minha experiência pessoal com o Princípios e Tempo Quieto através de testemunhos, palestras e workshops. Sou uma facilitadora dos Círculos de Criadores de Paz desde 2010 na Colômbia e no Brasil. Eu acredito firmemente que os Círculos de Criadoras de Paz são bem-sucedidos e podem ajudar a mudar as vidas de mulheres, pois eu mesma tive essa experiência. Após facilitar alguns círculos na Colômbia, senti o chamado de traduzir o manual para o Português e assim foi possível alcançar mais mulheres. Pois para mim, os círculos são uma simples porém poderosa ferramenta para mudança real e permanente, que precisa ser espalhada adiante. Neste estágio da minha vida eu tenho o tempo para me comprometer a ajudar e experienciar a vida em meu próprio processo de trabalho.

Para mim, viver a paz é uma conquista pessoal e social, o resultado de um trabalho profundo para superar as feridas do passado, para mudar os erros do presente e diminuir as expectativas para o futuro; e tem uma ligação forte com o perdão dos outros e de si mesmo.

 

Nighat KhurshidNighat Khurshid, Paquistão

Minha primeira interação com Iniciativas de Mudança e a Criadores de Paz foi em um seminário em Camberra em 2013, sobre a divisão entre a Índia e o Paquistão. No mesmo ano, eu também tive a oportunidade de participar de um Círculo da Criadoras de Paz em Wellington, Nova Zelândia. Aquela comunicação reverberou em mim para levar a ideia de círculos de paz para meu país, Paquistão. Na minha visão, paz precede desenvolvimento e sociedades pacíficas colhem melhor os benefícios do desenvolvimento. Eu estou agora vivendo em Islamabad para pesquisar e analisar desafios socioambientais em torno de mulheres durante guerra e conflito. Os amigos da CdeP Austrália e Nova Zelândia tem apoiado muito desde então minha visão de trilhar um caminho pacífico para as comunidades mais afetadas por conflitos. Felizmente, neste ano fui eleita como uma das coordenadoras internacionais em Caux, no evento “Vivendo a Paz”. Esta é de fato um cargo muito desafiador e estou honrada por trabalhar ao lado de um grupo de mulheres inspiradoras do mundo inteiro. Tenho aspirações de me tornar um membro valioso da equipe.

Enquanto tivermos a aspiração de viver; teremos o desejo de viver pacificamente. Viver a paz é por isso tão valioso.

 

Shoshana FaireShoshana Faire, Austrália

Há 6 anos estou envolvida com a Criadoras de Paz e me sinto entusiasmada sobre o projeto, como ele toca corações e empodera mulheres para se tornarem peacemakers. Por muitos anos estive facilitando ativamente os Círculos de Criadoras de Paz e treinamentos e acompanhamentos de Facilitadores local e internacionalmente, além de oferecer mentorias para outros realizarem o mesmo. Pelos últimos 3 anos, estive envolvida ativamente no Portfolio de Programas junto com uma equipe muito ativa. Desenvolvemos uma estrutura para o Portfolio de Programas, desenvolvemos uma base de dados de Facilitadores da CdP internacionalmente, ‘Caminhos para se tornar uma facilitadora Criadora de Paz’ e ‘Caminhos para se tornar uma Treinadora de Facilitadores CdeP’. Além disso, atualizei o currículo do Treinamento de Facilitadores e produzi handouts para nossos participantes de círculos de paz e para nossos Facilitadores. Estamos atualmente focando particularmente em programas para aqueles que já participaram de círculos de paz. Estou ansiosa para continuar com isso, facilitar uma comunidade de aprendizados compartilhados e desenvolver próximos programas como parte da CdeP, de acordo com o crescimento da demanda.

Tenho um comprometimento profundo com viver a paz e que isso venha através de transformação interior, transformando relacionamentos e agindo onde necessário.

 

Sylvie LefrançoisSylvie Lefrançois, Suíça

Minha motivação para me tornar uma criadora de paz: eu sempre admirei a coragem e força que irradia de mulheres em geral, diante da enorme sabedoria de algumas que me inspiram. Eu tenho um coração para apoiar, escutar e ajudar mulheres para perseverar e resolver seus maiores desafios. Eu mesma tive essa experiência em minha história de vida e frequentemente testemunho o poder do perdão. Eu gosto de reunir e liderar grupos de compartilhamento. Eu tenho o dom da hospitalidade e tento ter gentileza com cada pessoa que encontro. Eu participei do treinamento de dois dias em Caux em 2015 e do meu primeiro Círculo de Criadoras de Paz facilitado por Christian Garin e Maya Fiaux de janeiro de 2015 a janeiro de 2016. Eles firmaram meu treinamento como facilitadora falante de francês. Promovi Criadoras de Paz em minha casa e por conversar em minha comunidade e para os Amigos de Caux.

O tema da minha vida é o encontro de compartilhamento real, autêntico e regenerador. Viver a paz é seguir este fio de ouro. 

 

Yara ZgheibYara Zgheib Salloum, Estados Unidos

Sou uma leitora ávida, escritora e viajante, com um PhD em relações internacionais e um amor inegável por chocolate. Tenho trabalhado em paz e reconciliação tanto em escritório como em zonas de conflito e aprendi mais de pessoas corajosas ajudando outras na vida real do que em qualquer livro. O projeto Criadoras de Paz pode ter um impacto poderoso em comunidades; Círculos de Paz podem gerar conversas que curam o passado e começam novas vidas. Como uma coordenadora do CdeP, estou honrada por apoiar essas notáveis mulheres em situações difíceis, que estão trabalhando por esta mudança.

Paz é uma ação. Viver isto significa tentar alcançar pessoas reais e engajar em diálogo real.

As novas coordenadoras internacionais são acompanhadas por:

  • Embaixadora CdP, Daphrose Ntarataze, Burundi
  • Veteranos: Jean Brown, Austrália, Christiane Garin Al Azhari, Suíça e Vijayalakshmi Subrahmanyan, Índia

Nosso/a Presidente, Secretário/a e Tesoureiro/a será confirmado/a seguindo o EGM no final do ano. Para mais informações, entre em contato com Kate Monkhouse (link envia e-mail), Oficial Executiva.

Tradução de Natália Pascher