Notícias

Ralph and Merel singing on stage in Caux header by Justin Makii

Empreendedora social holandesa se arrisca atrás de próteses

terça-feira, 26. Julho 2016

Empreendedora social holandesa se arrisca atrás de próteses

Merel Rumping, da Holanda, tinha uma paixão por viajar desde cedo. Ela concluiu mestrado em relações internacionais na Holanda e estudou ciência política na França antes de trabalhar na Embaixada Holandesa no Marrocos. Ela trabalhou com crianças de rua e crianças criadas como soldados na Colômbia. Lá ela se envolveu com uma agência de microfinanciamento, Banco Mundial da Mulher. Através disso, ela descobriu o potencial do empreendedorismo social.

Merel Rumping

De volta à Holanda, ela trabalha agora com a ProPortion, que faz consultorias a ONGs e instituições de caridade sobre como criar e sustentar empreendimentos sociais, além de também lançar seus próprios empreendimentos sociais em economias emergentes. Em maio de 2014, ela fundou o LegBank, que pretende prover próteses de membros fáceis de encaixar para vítimas de minas terrestres e outras pessoas com membros amputados na Colômbia e em outros lugares.

Abordando a conferência sobre Confiança e Integridade na Economia Global (TIGE, em inglês), no dia 7 de julho, ela conversou com o mesmo jeito caloroso, com entusiasmo e cuidado que a TIGE encoraja e motiva. Uma participante regular em Caux nos últimos anos, Merel teve uma conversa sobre a necessidade de próteses durante a Conferência TIGE de 2013. Uma ideia surgiu em sua mente, baseada na combinação da sua experiência na agência de microfinanciamento, que mostra os benefícios de eliminar os custos iniciais, combinado com seu profundo conhecimento da escala da questão.

Mais de 30 milhões de pessoas ao redor do mundo tem a necessidade de próteses, mas não tem acesso a elas - uma estatística que chocou o público de Caux. Merel explicou o conceito de LegBank, cuja missão é ‘aumentar o acesso a próteses financeiramente acessíveis, próteses de qualidade para pessoas amputadas de baixa renda em economias emergentes’.

Chegando na Universidade Técnica de Delft, ela conseguiu apoio voluntário de seis estudantes que ajudaram a mapear e pesquisar o problema. Eles perceberam que diabetes, acidentes de automóveis e minas terrestres são as razões principais de amputações na Colômbia. É um país com uma das maiores taxas de vítimas de minas terrestres, seguindo a guerra civil de maior duração datada da metade dos anos 1960 e somente recentemente terminada.

Quarenta por cento das amputações na Colômbia são abaixo do joelho. A qualidade das próteses é chave e os padrões atuais das soquetes são intrinsecamente ligados aos métodos de produção.O resultado é normalmente tão diferente quando as pessoas que criam a soquete. As barreiras de acesso são tempo, qualidade e certificação. Além disso, normalmente as vítimas não tem cobertura de nenhum convênio de saúde, ou apenas cobertas pela prótese atual mas não pela viagem aos centros, que pode ser longa e custosa.

Aprimorando o assunto, Merel e seu time precisavam de um estudo de caso. Eles encontraram um pequeno vilarejo na Colômbia onde havia um número surpreendente de 300 vítimas de minas terrestres, muitos deles amputados necessitando de prótese de um membro. Atualmente pode ser que demore até dois anos para se conseguir uma - um fator prejudicial para a vida da maioria dos habitantes rurais. Portanto o objetivo se tornou claro: trazer a produção para perto das áreas rurais, acelerar o processo e produzir próteses de melhor qualidade.

Ralph Bijvoet

Ralph Bijvoet Em cooperação com a Universidade de Strathclyde, Glasgow, a equipe criou o primeiro protótipo da unidade de produção de soquete Majicast em janeiro de 2015. Majicast, inventada pelo Dr. Arjan Buis e desenvolvida pela agência de design Reggs, é um dispositivo que reduz o tempo de produção para criar uma soquete confortável sob medida quase imediatamente. Ela precisa de menos habilidades para usar e produz um produto de qualidade consistentemente maior. Seguindo a produção de sucesso das próteses Majicast, eles mapearam onde providenciar serviços ortopédicos para as áreas de maior necessidade.

Para que seja possível expandir a operação, eles precisavam agora de investimento de capital. Merel apresentou LegBank para o Bill Gates; porém, foi a Google que decidiu investir nessa solução inovadora. Com um investimento de $1 milhão da Google, o projeto estava pronto para começar a voar.

Então o que agora? A última versão de Majicast está sendo finalizada e tem como objetivo prover serviços ortopédicos em tres áreas rurais, possivelmente através da construção de pelo menos um centro ortopédico, com o primeiro sendo inaugurado em maio de 2017.

A apresentação de Merel em Caux foi uma ideia que é simples em conceito, porém poderosa em impacto, que deixou o público ciente de que este era um projeto existente fenomenal.

Após falar sobre LegBank, Merel Rumping cantou um concerto encantador de música portuguesa de fado com seu violonista Ralph Bijvoet que, com o violonista Antonio Carlos Costa, formam o grupo Palpita. Eles receberam aplausos de pé ao final, tanto pelo canto quanto pelo projeto.

Relatório por Sophia Schwer

Fotos por Justine Makii

Tradução por Natalia Pascher