Sobre nós

Freedom

Filmes históricos de Iniciativas de Mudança

Arquivos de filmes de Iniciativas de Mudança

 

Uma conversa sobre perdão

Este filme está disponível gratuitamente apenas para visualização pessoal. As licenças são necessárias para uso sem fins lucrativos, educacional, governamental ou comercial; entre em contato com film.archives@iofc.org

Uma Conversa sobre Perdão (5 de dezembro de 2000)

Com o Dr. Donald W. Shriver, Jr. (Presidente Emérito – Seminário de União Teológica, Nova York) e com Michael Henderson (autor de “Perdão, Quebrando a Cadeia do Ódio”) em um evento organizado por Iniciativas de Mudança e o Comitê Central Mennonite.

 

Um Dia de Reconhecimento

Este filme está disponível gratuitamente apenas para visualização pessoal. As licenças são necessárias para uso sem fins lucrativos, educacional, governamental ou comercial; entre em contato com film.archives@iofc.org

Em 22 de abril de 1999, a cidade de Oregon reconheceu formalmente sua história racial discriminatória em um “Dia de Reconhecimento” no Capitólio do Estado. Impulsionada por uma coalizão baseada em Portland inspirada por Esperança nas Cidades, uma resolução foi aprovada pela legislatura estadual e foi assinada pelo presidente do Senado e pelo Orador da Casa afirmando que a história do Oregon tinha sido “marcada pela discriminação racial, exclusão, preconceito e grande injustiça para com as pessoas de cor.” Ele observou que já haviam se passado 150 anos desde o notório Ato de Exclusão de 1840. Após a assinatura, quase 800 pessoas do público em geral de todas as origens lotaram a Câmara a convite do presidente da Câmara para marcar a ocasião.

 
Um homem para todas as pessoas

Para uso comercial, transmissão ou uma cópia em DVD deste material, entre em contato com comms.uk@iofc.org

O filme conta a história do Dr. William Nkomo, um sul-africano negro que lutou contra a discriminação racial. Ele fez parte dos fundadores da liga juvenil do Congresso Nacional Africano (ANC). Nos anos 50 conheceu brancos que o colocaram em contato com as ideias de IdeM; ele foi convidado a participar de uma conferência em Lusaka. O filme inclui muitos testemunhos de pessoas que vieram a conhecer Nkomo, ou que viajaram e trabalharam com ele em vários lugares. O final do filme tem uma longa sequência em sincronia com Nkomo discursando para um público, bem como uma pequena entrevista dele, filmada no terraço em Caux, Suíça.

 

Um homem para combinar com a hora

Este filme está disponível gratuitamente apenas para visualização pessoal. As licenças são necessárias para uso sem fins lucrativos, educacional, governamental ou comercial; entre em contato com film.archives@iofc.org

Mostra viagens e discursos de Peter Howard nos EUA, África, América do Sul, etc. e inclui elementos biográficos da vida de Peter Howard.

Data da produção: 1965

 

Entrevistas de Como Queremos que o Mundo Viva

“Como queremos que o mundo viva” é uma série de programas de entrevistas feitas por voluntários do Liberty Cable Community Access Channel 7, de Portland, entre 1980 e 1984. As sete entrevistas a seguir foram conduzidas por Michael Henderson, um jornalista inglês que morou na cidade por 20 anos e focadas em visitantes de Oregon, muitas vezes amigos dele, “mostrando como as pessoas de fé podem relacionar suas convicções às necessidades de suas comunidades” e “oferecendo ideias sobre como trabalhar pela paz mundial”. Henderson também apresentou “Jornalismo Mundial em Análise” na TV de radiodifusão pública do Oregon e por 19 anos fez várias participações como comentarista em estações de rádio públicas do Oregon. Música de David Mills. Este filme está disponível gratuitamente apenas para visualização pessoal. As licenças são necessárias para uso sem fins lucrativos, educacional, governamental ou comercial; entre em contato com film.archives@iofc.org.

Como Queremos que o Mundo Viva: Entrevista com o Dr. Kim Beazley

Um dos líderes políticos mais respeitados da Austrália fala sobre o que ele acreditava e por quê. Quando Kim Beazley entrou no Parlamento, ele era o membro mais jovem, quando o deixou 32 anos depois, ele era o membro mais antigo. Ele morreu em 2007 com a idade de 90 anos. Por meio de suas palavras, podemos ver por que ele era tão respeitado, por que três ex-primeiros-ministros australianos compareceram a seu funeral e por que o jornal nacional, The Australian o descreveu como “uma raridade política que colocou sua religião e crenças morais antes de seus interesses políticos.” Por 23 anos esteve na oposição política, mas foi a partir desta posição que obteve grandes ganhos para o país. O jornal The Guardian escreveu: “No debate e em suas relações com as pessoas, Beazley tinha o que no clima parlamentar atual seria considerado uma raridade, o desejo de nunca machucar os outros pessoalmente.” Esta entrevista foi feita em 1981. Desde essa época, tem-se visto muitos avanços nacionalmente na Austrália para os direitos aborígenes que Beazley fez uma prioridade em sua vida. Isso aconteceu porque em 1953 ele foi escolhido pelo Parlamento para representar a Austrália na coroação da Rainha Elizabeth II, e decidiu fazer uma visita ao centro de conferências em Caux, Suíça. Ele ficou sete semanas, porque o que viu foi “extremamente significativo”, com cura surgindo nas relações internacionais entre França e Alemanha e Alemanha e Dinamarca e aprendeu uma disciplina espiritual de buscar a vontade de Deus.

 

Como Queremos que o Mundo Viva: Entrevista com Tianethone & Viengxay Chantharasy

Uma entrevista com um casal budista, Tianethone e Viengxay Chantharasy, em uma época em que seu país, o Laos, foi tomado pelos comunistas, e Tianethone como secretário de Estado das Relações Exteriores escapou por pouco da execução. Ele foi Encarregado de Negócios em Washington DC (1960-64) e em Canberra (1967-71), e Embaixador em Nova Délhi (1971-74) representando o Governo Real do Laos. Viengxay disse a Michael Henderson na entrevista: “Se tivermos ódio em nossos corações, não poderemos ter paz no mundo.” Um e-mail foi enviado para ele em janeiro de 2017, mais de 35 anos depois, que apesar de seu sofrimento, eles se recusam a dar espaço à amargura contra qualquer país e qualquer pessoa. Em vez disso, desejam o melhor aos amigos e inimigos e continuam a alimentar a esperança de uma genuína reconciliação nacional de corações entre o povo do Laos. Eles estão praticando, com paciência e silêncio, com muitos membros de sua família, os cinco preceitos do budismo e os quatro padrões morais absolutos de IdeM, o poder do perdão e o segredo de ouvir a voz interior. “Estamos compartilhando com aqueles que cruzaram nossos caminhos nossas humildes experiências pessoais de mudança, de escolhas e de prioridades, que são o cuidado amoroso por aqueles que vivem perto de nós todos os dias em suas idades avançadas.”

 

Como Queremos que o Mundo Viva: Entrevista com Jim Coulter

“Conte a eles sobre seu grande histórico de guerra, onde você derrubou três de nossos aviões e não causou nenhum dano aos deles.” Este foi o incentivo de seu filho ao piloto Jim Coulter para falar sobre seus quatro anos na Força Aérea Real Australiana. A entrevista de hoje é caracterizada por uma abordagem leve de assuntos sérios, uma trajetória de vida que colocou Jim em contato com sete primeiros-ministros australianos, incluindo um que, quando ele estava se perguntando se deveria dedicar sua vida do pós-guerra ao Rearmamento Moral, o aconselhou: "Se eu fosse você, aceitaria meu palpite e experimentaria". Sua educação religiosa foi tão escassa que aos 18 anos ele havia frequentado a igreja apenas duas vezes e pensava que o Sermão da Montanha fora proferido na Rua da Montanha de Perth, mas acreditava que Deus salvara sua vida em um acidente de avião e poderia até mesmo ajudar a encerrar uma grande disputa de mineração em Bougainville. Ele e sua esposa Rita têm sido uma inspiração para muitos ao redor do mundo. Em 2015, ele foi condecorado por seus serviços na invasão da Normandia pelo governo francês.

 

Como Queremos que o Mundo Viva: Entrevista com Vilma Maritz

Uma jovem Afrikâner descreve como, na era do Apartheid sul-africano, ela reencontrou sua fé, perdeu o medo das multidões e dos negros e trabalhou com ativistas em cidades. Ela ajudou a fundar uma organização multirracial de mulheres, Kontak, algumas das quais foram homenageadas trinta anos depois pelo então presidente Mandela pelo papel que as mulheres desempenharam na construção de pontes e pavimentação de caminhos para negociação de acordos.

 

Como Queremos que o Mundo Viva: Entrevista com Stanley e Helen Nichols-Roy

Stanley e Helen Nichols-Roy, de Shillong, capital do estado montanhoso de Meghalaya, no nordeste da Índia. Helen é americana e os dois se conheceram na universidade na Califórnia. A mãe de Stanley também era americana e seu pai foi um dos redatores da Constituição indiana. Eles falam sobre a determinação do povo Khasi em criar seu próprio estado a partir de Assam e a forma como uma mudança de atitude por parte de Stanley, secretário-geral do principal partido político, e de seu principal oponente, o Ministro-Chefe de Assam. B.P. Chaliha desempenharam um papel importante para manter sua luta não violenta e bem-sucedida.

 

Como Queremos que o Mundo Viva: Entrevista com Charis Waddy

Dra. Charis Waddy, nascida na Austrália, autora de “A Mente do Muçulmano” e “As mulheres na História Muçulmana”. Ela foi a primeira mulher a se formar em Línguas Orientais (Árabe e Hebraico) na Universidade de Oxford e lecionou no Oriente Médio na década de 1930. Ela destaca a importância da cooperação entre pessoas de diferentes religiões.

 

Como Queremos que o Mundo Viva: Entrevista com John e Denise Wood

John e Denise Wood moram há 10 anos em Pasadena, Califórnia. John foi Diretor do Centro de Habilidades de Pasadena e chefiou o Comitê do Centenário da cidade, e Denise foi fundadora e Diretora do Escritório de Conexões Criativas e autora de vários livros, incluindo “Crescendo em Pasadena, o que Nossas Crianças Estão nos Contando?” Tudo isso ‘na aposentadoria’, depois de uma vida inteira de serviço, particularmente na reconstrução das relações entre os países europeus após a Segunda Guerra Mundial. A mãe de Denise era francesa. Eles descrevem as lições que aprenderam em Pasadena ‘ouvindo a cidade’ e ajudando a mobilizar as pessoas para lidar com os problemas que surgiram, sem insultos e sem enfraquecimento da verdade, e esperando o melhor. Um líder cívico comentou que seu trabalho ‘libertou a cidade do cinismo’.

 

O Destino da Ásia

Para uso comercial, transmissão ou cópia em DVD deste material, entre em contato com comms.uk@iofc.org

O filme mostra ações do MRA na Ásia, incluindo a turnê de Nada a Declarar (ATD) na Malásia (Kuala Lumpur), na presença de diversos oficiais, incluindo ministros e figuras políticas do país. Também inclui Rajmohan Gandhi falando de uma plataforma sobre a importância do aspecto multicultural da sociedade malaia e entrevistas com o Dr. Thio Chan Bee e Satya Banerji. O filme continua com ações realizadas por pessoas em Assam e Nagaland para melhorar os relacionamentos. A primeira-ministra Indira Gandhi participa de uma celebração em Nagaland.

Data da produção: 1970

Produtor:

Jack Dickson

 

A Ásia Hoje

Este filme está disponível gratuitamente apenas para visualização pessoal. As licenças são necessárias para uso sem fins lucrativos, educacional, governamental ou comercial; entre em contato com film.archives@iofc.org

Discurso filmado de Rajmohan Gandhi na Ilha Mackinac em 1964, falando sobre a situação política na Ásia, afirmando que os asiáticos não querem o comunismo, mas uma ideia maior que pode ser trazida pelo Rearmamento Moral.

Data da produção: 1964

 

Experimento Asiático

Para uso comercial, transmissão ou uma cópia em DVD deste material, entre em contato com comms.uk@iofc.org

Documentário sobre a ação de Rearmamento Moral (MRA) na Índia e em outras regiões vizinhas, como Ceilão e Nagaland. Diversas pessoas são entrevistadas, como Rajmohan Gandhi (muito material em sincronia), oficiais diversos, incluindo ex-membros do parlamento e governadores, estudantes, familiares e Niketu Iralu, que falam sobre a influência do MRA em suas vidas ou em suas áreas de atuação.

Data da produção: 1969, aproximadamente. O filme foi provavelmente rodado quando Braj Kumar Nehru era governador de Assam e Bangladesh ainda era chamada de “Paquistão Ocidental”.

 
Relatório Belfast

Produção: Foss Films, para a New Ireland Film Productions

Produtor Executivo: Hannen Foss

Diretor: Peter Sisam

Pessoas de Belfast ativas em assuntos industriais contam como veem um futuro melhor para a Irlanda do Norte e como as ideias do MRA podem ajudar a alcançá-lo.

Data da produção: 1974

 

Reunião Bognor (? 1950)

Para uso comercial, transmissão ou uma cópia em DVD deste material, entre em contato com comms.uk@iofc.org

Um filme mudo, contendo um pôster do MRA na rua para a reunião do Pavilhão Bognor, no sul da Inglaterra. Pessoas chegando de carro e ônibus. Homem com óculos MRA. Caixas de som.


 

O presidente boliviano, o Senado e o povo dão as boas-vindas à força do MRA, 1961

Este filme está disponível gratuitamente apenas para visualização pessoal. As licenças são necessárias para uso sem fins lucrativos, educacional, governamental ou comercial; entre em contato com film.archives@iofc.org.

Equipe do MRA com elenco da peça teatral “O Tigre” é saudada pelas autoridades bolivianas.

Desfile militar nas ruas, pessoas se reunindo em um teatro ao ar livre para assistir a “O Tigre”.

Rajmohan Gandhi falando para autoridades bolivianas.

Data da produção: 1961

 

Construtores de Pontes (Dinamarca)

Produção: Positive Productions

Produtor: Eric Parfitt

Castelo de Elsinore - Dinamarca - Conferência em Ollerup

Data da produção: 1935

 

A Grã-Bretanha funciona bem

Para uso comercial, transmissão ou uma cópia em DVD deste material, entre em contato com comms.uk@iofc.org

Vários depoimentos de pessoas que trabalham na indústria, que contam o que passaram para melhorar as coisas em suas vidas, acertar as coisas com seus familiares e trabalhar para um melhor entendimento.

Data da produção: 1978

 

Construindo cabanas para a conferência de Tirley Garth, 1965

Para uso comercial, transmissão ou uma cópia em DVD deste material, entre em contato com comms.uk@iofc.org

Um filme mudo, grupos de pessoas construindo pequenas casas na área de Tirley Garth para receber os futuros participantes da conferência.

 

Caux 1946

Algumas cenas desde o início de Caux, em 1946.

 

Versão longa de Caux 1946


 

 
Caux 1948 e outros lugares, filme mudo

Este filme está disponível gratuitamente apenas para visualização pessoal. As licenças são necessárias para uso sem fins lucrativos, educacional, governamental ou comercial; entre em contato com ia-secretariat@iofc.org.

01'12" : Bill Mackintosh (piloto dos EUA que voou com a delegação do Congresso para a Suíça)

01'22" : Buchman recebe o Primeiro Ministro japonês após a guerra.

01'56" : Surya e Nelun Sena (músicos do Ceilão)

02'21" : Delegados do Comitê do Congresso dos EUA

03'04" : Bundeskanzler suíço Oskar Leimgruber com F. Buchman no Hotel Bellevue, Berna

05'23" : Dr. Max Huber (en.wikipedia.org/wiki/Max_Huber_%28statesman%29)

05'29" : Bem na foto: Marcel Pilet-Golaz, Ministro das Relações Exteriores da Suíça

05'38" : Dr. William Reed, compositor musical do Reino Unido

05'45" : Archie Mackenzie, diplomata britânico

05'57" : Grupo birmanês com Daw Nyein Tha (primeira-dama à esquerda, primeira fila)

06'05" : Robert Tilge, França

06'24" : Jack Ely (homem calvo, lado esquerdo)

06'30" : Marion Anderson, cantora de ópera dos EUA

07'00" : Eleanor Butler, Irlanda (e atrás, passando pela porta: Claire Weiss)

08'57" : A peça “O Fator Esquecido” exibida em Berna. À esquerda do quadro está Frits Philips

 

Cruzada, a história de Frank Buchman

Para uso comercial, transmissão ou uma cópia em DVD deste material, entre em contato com comms.uk@iofc.org

Produtora: MRA

Biografia detalhada de Frank Buchman e a história de suas ações e MRA. Na segunda parte, há fotos de Frank Buchman falando em sincronia. Canção “O mundo entrou em meu coração” cantada por Muriel Smith e vários testemunhos em áudio de pessoas que trabalharam com Buchman, incluindo Irène Laure, Peter Howard e sua esposa, Conrad Hunte, William Nkomo (África do Sul, primeiro presidente africano do Instituto de Relações Raciais), Marie van Selm (África do Sul), Les Dennison (trabalhador, Inglaterra), Rei Michael da Romênia, Rajmohan Gandhi.

Data da produção: 1974

 

Die Antwort

Filme que descreve a luta dos trabalhadores e líderes da indústria do aço finlandês para chegar a um acordo e lutar juntos por uma forma mais democrática de liderar os assuntos industriais, criando um conselho de fábrica e começando a falar honestamente uns com os outros para ganhar e manter a confiança. / Este é o único filme para o qual o compositor Jean Sibelius deu permissão para o uso de sua música. Produtor: Viljo Lampela, Diretor: Viljo Lampela

 

O Condor

Este filme está disponível gratuitamente apenas para visualização pessoal. As licenças são necessárias para uso sem fins lucrativos, educacional, governamental ou comercial; entre em contato com film.archives@iofc.org

Produtor: Scoville Wishard

Diretor: George Fraser

Filme escrito e produzido por estudantes das universidades de San Marcos e Cusco, Peru. A trama se passa na universidade de “Latinia”, uma cidade fictícia da América do Sul. Carlos, um jovem de família rica, faz amizade com jovens comunistas. A peça “O Tigre” está sendo exibida na cidade e estudantes comunistas são convidados a vê-la. Depois de ter visto a peça, o pai de Carlos vai até ele e pede perdão por sua atitude; ele então muda de atitude e este é o ponto de partida de uma nova e honesta atmosfera entre os protagonistas.

Data da produção: 1962

Idioma de áudio da cópia: Inglês

 

Liberdade

Para uso comercial, transmissão ou cópia em DVD deste material, entre em contato com comms.uk@iofc.org

O filme conta a história de homens africanos lutando por terras e uns contra os outros. Progressivamente, ao longo do filme o Rei da terra, um homem branco (Sr. Roland) que representa a colonização, e diferentes povos locais descobrem a forma de lutar juntos e se unirem para refazer o mundo.

Elenco:

O Rei: Matthew Elebsunu (Nigéria)

A Rainha: Elsie Chivuzie (Nigéria)

Adamu: Manasseh Moerane (África do Sul)

Mutanda: Ifoghale Amata (Nigéria)

Sr. Roland: Lionel Jardine (Inglaterra)

 

Cavalo Galopante

Para uso comercial, transmissão ou uma cópia em DVD deste material, entre em contato com comms.uk@iofc.org

Inauguração do centro de atividades MRA em “Asia Plateau”, Panchgani, Índia. As pessoas se encontram com o presidente da Índia antes de vir para Asia Plateau; disseram-lhe que se sentiam responsáveis ​​pelo futuro do país. Um menino de 19 anos que costumava “passar seu tempo” cantando nas ruas, decidiu começar a usar sua voz para inspirar outras pessoas a mudar.

O filme descreve ações realizadas por pessoas comuns para ajudar a trazer mudanças para a sociedade. Depois de se desculpar com quatro homens que ele odiava, um homem sugere que eles trabalhem juntos para fazer a diferença. Após o trabalho, ele ensina 200 crianças que não têm a oportunidade de ir à escola de outra forma. Um homem que costumava beber, jogar e ser violento com os outros decide ouvir sua voz interior e volta para a esposa que havia deixado anos antes. Ela decide perdoá-lo e começar a vida juntos novamente.

Numa região onde os agricultores cultivam alimentos, o Sr. R. Lala encontra-se com eles e são organizadas reuniões no vale, onde se diz que “o MRA está a espalhar-se pelo país como um cavalo a galope”.

O final do filme enfatiza a importância dos quatro padrões morais de absoluta honestidade, pureza, altruísmo e amor, e o fato de que “todos são necessários” nesta revolução.

 

Dê um Osso a um Cachorro

Peça de teatro originalmente escrita por Peter Howard e adaptada para a tela. História de um cachorro, seu dono (um menino), a família de seu dono e um homem que vem do espaço. O menino foge de sua família e vai para Londres com Ringo, seu cachorro. Ele encontra um homem que vem do espaço e o ajuda em sua jornada, a resistir ao “rei dos ratos”, que transforma as pessoas em animais assim que dizem “eu não dou a mínima”.

Diretor:

Henry Cass

Elenco:

Ronnie Stevens

Richard Warner

Ivor Danvers

Bryan Coleman

Robert Davies

Len Maley

Patricia O'Callaghan

Daphne Foreman

Angela Easterling

Rey Heymann

Roy Skelton

Frances Jane Ashworth

Pamela Jones

Geraldine Long

Gary Brighton

Philip Newman

Jill Love

Richard Manuel

Data da produção: 1965

 

Feliz Dia da Morte

Para uso comercial, entre em contato com toomsfirth@btinternet.com

Originalmente uma peça de teatro escrita por Peter Howard. Um velho faz aniversário. Na ocasião, ele recebe um presente de sua neta, que gosta muito dele. Por outro lado, ela odeia os pais e o clima na família é bastante tenso. A ocasião do aniversário do velho é a oportunidade de abordar temas essenciais (amor, vida, casamento, etc.); no final, a jovem descobre que está grávida e que o filho é do assistente do pai. Ela não tem o apoio que anseia e comete suicídio.

Produtor: Louis Fleming e Donald Loughman

Diretor: Henry Cass

Elenco:

Cyril Luckham (como Josiah Swineyard)

Harry Biard (como Dr. John Sylvester)

Clement McCallin (como Prof. Esteban Zoltan)

Yvonne Antrobus (como Jetta Zoltan)

Bryan Coleman (como Dr. Oliver Tarquin)

Harriette Johns (como Rebecca Zoltan)

John Comer (como Briggs)

 

Data da produção: 1968

 

Harambee Africa

Para uso comercial, transmissão ou uma cópia em DVD deste material, entre em contato com comms.uk@iofc.org

Produtor e Diretor: Hugh Steadman Williams

O filme abre com o elenco do musical Harambee Africa ajudando a construir um hospital e uma estrada no espírito de Harambee que significa unir a África. O show foi produzido pela primeira vez na apresentação da conferência MRA “Mirando a África” realizada no Kenyatta College, perto de Nairóbi. Abertura da conferência e filmagem de Conrad Hunte, vice-capitão do time de críquete das Índias Ocidentais, falando e liderando o programa de esportes. O elenco do Harambee Africa se apresenta para o primeiro-ministro queniano Jomo Kenyatta, que incentivou o elenco a levar o show musical para outros países africanos. O filme mostra o elenco atuando em Cartum, Sudão, para o Governo e o El Mahdi com recepções e ocasiões de Estado, além do elenco visitando a Etiópia e sendo recebido por Haile Selassie com cenas da chegada de um leão adulto na porta do avião, o mascote de Sua Majestade Imperial. O elenco recebe um lugar de honra especial quando o governo recebe o presidente francês em visita de Estado.

Data da produção: 1965

 

Esperança (Hoffnung)

Este filme está disponível gratuitamente apenas para visualização pessoal. As licenças são necessárias para uso sem fins lucrativos, educacional, governamental ou comercial; entre em contato com film.archives@us.iofc.org

Diretor: Harold Schuster

Elenco: Mineiros do Ruhr (Alemanha)

Peça de teatro adaptada ao cinema. A peça “Hoffnung” (Esperança) é apresentada por alguns documentários do elenco sendo convidados a exibi-la em diferentes lugares do mundo (Alemanha, onde se encontram com Adenauer, Suíça, Chipre, Kerala-Índia, Japão, Estados Unidos: Washington, Nova York, etc.). A história é sobre um homem que foge de um país comunista (Alemanha Oriental) e passa a viver no oeste. Ele descobre que o povo do Ocidente não tem ideologia nem direção para suas vidas. Com as pessoas que conhece no oeste, ele descobre os quatro padrões morais do MRA e convence um ex-agente comunista a mudar e abrir sua vida para novas ideias. O filme termina com depoimentos de mineiros sobre suas experiências de mudança.

Data da produção: 1960

 

Jornada Japonesa

Este filme está disponível gratuitamente apenas para visualização pessoal. As licenças são necessárias para uso sem fins lucrativos, educacional, governamental ou comercial; entre em contato com ia-secretariat@iofc.org

O filme é sobre a viagem de uma delegação japonesa (incluindo os prefeitos de Hiroshima e Nagasaki) a Caux em 1950.

 

Vale Jotham

Este filme está disponível gratuitamente apenas para visualização pessoal. As licenças são necessárias para uso sem fins lucrativos, educacional, governamental ou comercial; entre em contato com film.archives@iofc.org

História sobre dois irmãos no oeste dos Estados Unidos, que lidam com ódio e pesar, levando Jotham a fechar o suprimento de água para todo o vale. A reconciliação acontece no final. (veja os arquivos anexos: cópia de artigo de jornal publicado quando a peça foi exibida pela primeira vez na Broadway, que inclui uma sinopse da história).

Data da produção: 1952

Elenco:

Joth Jotham: Leland Holland

Jennifer Jotham: Ilene Godfrey

Fuso: Cecil Broadhurst

Seth Jotham: Dick Stollery

Moose: Dwight Boileau

Slugger: Frank McGee

Smokie: Ron Roberts

Sundown: Howard Boyd

A família Waggle: David Allen, Elsie Menzies, Tommy Kennedy, Chris Channer, Val Fleming, Fernanda Smith.

Sra. Hubbard: Phillis Konstam

Sra. Whipple: Mabel Curtis

Mart Billings: Harold Sack

Jack Collins: Blanton Belk

 

... e o refrão original de Jotham Valley

Livro, letra e música: Cecil Broadhurst

Música adicional: Frances Roots Hadden e George Fraser

Arranjo e condução por: Dr. Will Reed

Encenado por: Howard Reynolds

 
Meninas do Campo no Centro de Conferências Tirley Garth durante a guerra

Para uso comercial, transmissão ou uma cópia em DVD deste material, entre em contato com comms.uk@iofc.org

Camponesas cultivam vegetais nas terras do Centro de Conferências de Tirley Garth e os vendem na cidade durante a guerra.

 

Homens do Brasil

Este filme está disponível gratuitamente apenas para visualização pessoal. As licenças são necessárias para uso sem fins lucrativos, educacional, governamental ou comercial; entre em contato com film.archives@iofc.org.

Este é um documentário da verdade da orla brasileira - a verdadeira história dos homens e mulheres do porto do Rio de Janeiro como de fato aconteceu.

Naquela época, travava-se uma batalha de ideias pelo controle dos portos do mundo. No Rio de Janeiro, em 1953, dois sindicatos, um oficial e outro não oficial, lutaram pela liderança do porto.

Nessa luta, dois homens eram inimigos ferrenhos - Nelson Marcellino, líder do sindicato oficial e chefe do depósito de bagagens, e Damásio Cardoso, operador de grua e líder do sindicato não oficial. Os homens estavam armados e temiam por suas vidas. As greves eram frequentes...

Para obter informações sobre a história por trás da produção do filme, leia este artigo intitulado “Brasileiros Comuns fazendo coisas Extraordinárias”, escrito por Luis Puig.

Elenco:

Damásio - Damásio Cardoso

Nair - Nair Cardoso

Nelson - Nelson Marcellino de Carvalho

Odette - Odette de Carvalho

Boxeador - Antônio Cláudio da Costa

Luiz - Waldemar Rosa de Silveira

Henrique - Henrique Raymundo de Oliveira

Cláudio - Cláudio de Asevedo Falcão

Marly - Marly Falcão

Juiz - Everardo Dias de Motta

Superintendente - Zenith do Valle Aguiar

 

Equipe técnica:

Diretores - Nelson Marcellino de Carvalho, Otto Lopes Barbosa e Carlos Anselmo

Produção - Rearmamento Moral

Redação - Nelson Marcellino de Carvalho, Otto Lopes Barbosa e Carlos Anselmo

Diálogo dublado em inglês - Robert Tafur

Fotografia - Edgar Eichhorn

Música - Remo Usai

Som - Glen Glenn

 

Prêmios:

Indicado ao Prêmio Urso de Ouro de Berlim - 1960 (Festival Internacional de Cinema de Berlim)

 
Sr. Brown desce a colina

Para uso comercial, entre em contato: toomsfirth@btinternet.com

Um homem, uma mulher e um padre escalam uma montanha. O homem vai sozinho até o topo e encontra outro homem no topo: Sr. Brown (Jesus). O homem pede ao Sr. Brown que desça a montanha e encontre as pessoas que moram lá embaixo. Em um bar na cidade, o Sr. Brown força um homem bêbado (Andy) a beber água. Andy morre no bar. O Sr. Brown recebe comprimidos de um médico e morre após tomá-los.

Diretor: Henry Cass

Elenco: Eric Flynn (Sr. Brown), Mark Heath (homem negro), Lillias Walker (Harlot), John Richmond (bispo), Richard Warner (médico), Brian Coleman (2º bispo), Alan White (Andy), Donald Simpson (3º Bispo), Noel Carey (4º bispo), Robert Hartley, Kenneth Waller, David Bird, Pauline Loring, Gina Curtis, Astley Harvey, Anthony Higginson, Gary Brighton, Guy Standeven, Mike Lewin, Roy Heymann

Data da produção: 1965

 

Nova Holanda

Para uso comercial, transmissão ou uma cópia em DVD deste material, entre em contato com comms.uk@iofc.org.

Um filme mudo da conferência de Utrecht, de 6 a 17 de maio de 1937.

 

Da frigideira para a luta

Este filme está disponível gratuitamente apenas para visualização pessoal. As licenças são necessárias para uso sem fins lucrativos, educacional, governamental ou comercial; entre em contato com film.archives@iofc.org

Filme promocional com elementos fictícios, sobre os quatro padrões morais e sua aplicação no dia a dia dos jovens.

 

Papua Nova Guiné, terra do futuro

Filme-reportagem da visita da equipe de “Nada a Declarar” à Papua Nova Guiné. Apresentações da equipe de ATD, conhecendo pessoas locais; discurso (sincronização) de Paul Lapun. / Imagens de minas de cobre de Bougainville e membros do elenco visitando vilas e casas. Estádio / palco ao ar livre para preparação de espetáculos / Rorovana, ex-inimigos, assistem juntos ao filme Liberdade e chegam a um acordo que é noticiado na imprensa. / Visita do elenco a Rabaul, na ilha de New Britain, onde havia tensão, e são recebidos por Julius Chan, membro da Assembleia.

Data da produção: 1971

 

Pickle Hill

Este filme está disponível gratuitamente apenas para visualização pessoal. As licenças são necessárias para uso sem fins lucrativos, educacional, governamental ou comercial; entre em contato com film.archives@iofc.org

A peça é a história das primeiras experiências de Frank Buchman ao trazer mudanças para uma faculdade na Pensilvânia, quando os alunos iam fazer greve. A visita de Buchman a este local ajudou a melhorar muito a situação. Em particular, ele ajudou um homem chamado Bill Pickle a melhorar sua vida e seus relacionamentos e parar de beber. O filme termina com uma série de pessoas no palco homenageando Frank Buchman e seu trabalho, Frank sentado em uma cadeira (é representado como na peça, mas muitos dos discursos estão relacionados a eventos reais da história do MRA). Filmado em 1964 a partir da peça de teatro.

 

Despertando uma Nação

Para uso comercial, transmissão ou uma cópia em DVD deste material, entre em contato com comms.uk@iofc.org

Relato filmado da primeira reunião do Grupo Oxford em Birmingham, em 1936. Sem som. Fotos da feira da indústria britânica de 1936. Loudon Hamilton lidera a procissão. Cuthbert Bardsley conversando com a multidão. Banda tocando, conduzida por George Fraser. Frank Buchmann transmitindo em frente à multidão.

Data da produção: 1936

 

O espaço é tão surpreendente

(realizado por alunos em Mackinac, EUA)

Este filme está disponível gratuitamente apenas para visualização pessoal. As licenças são necessárias para uso sem fins lucrativos, educacional, governamental ou comercial; entre em contato com film.archives@iofc.org

Apresentado pela Sra. Anthony Quinn

Produzido e interpretado pelos alunos que participaram da conferência de 1964 no estúdio cinematográfico do Centro do MRA, Ilha Mackinac, USA.

Baseado no musical de Peter Howard que foi apresentado no Teatro de Westminster, Londres

História baseada na corrida espacial Astronauta e Cosmonauta no final dos anos 50, início dos anos 60

Data da produção: 1964

 

A coragem para mudar

Este filme está disponível gratuitamente apenas para visualização pessoal. As licenças são necessárias para uso sem fins lucrativos, educacional, governamental ou comercial; entre em contato com film.archives@iofc.org

Em meados dos anos 80, em Richmond, Virgínia, diversos grupos de cidadãos desenvolveram uma visão de como sua cidade poderia ajudar a curar as profundas divisões raciais na América. Ao cruzar as divisões sociais e construir parcerias corajosas, eles criaram um movimento liderado por cidadãos que se tornou o Esperança nas Cidades.

 
A Experiência Culminante

Este filme está disponível gratuitamente apenas para visualização pessoal. As licenças são necessárias para uso sem fins lucrativos, educacional, governamental ou comercial; entre em contato com film.archives@iofc.org

O filme foi baseado em uma peça teatral em turnê, que por si só foi baseada na vida da Dra. Mary McLeod Bethune, a educadora pioneira e ativista dos direitos civis que se tornou conselheira do presidente Franklin Delano Roosevelt.

Roteiro de Alan Thornhill

Dirigido, produzido e apresentado por Rearmamento Moral

Estreou pela primeira vez no Teatro Warner, Broadway com Rua 47, Nova York

Duração: 102 minutos.

 

Diretores: Marion Clayton Anderson, Rickard Tegström

Escritor: Alan Thornhill

 

Elenco:

Emma Tremaine: Muriel Smith

Charlie: Louis Byles

Sarah Spriggs: Ann Buckles

Julie: Anna Marie McCurdy

Sra. Spriggs: Phyllis Konstam

Austin Blaney: Robert Anderson

Charlie jovem: George McCurdy

Sr. Spriggs: William Pawley Jr.

Equipe técnica:

Editor: Cecil Broadhurst

Narrador do prólogo: Joel McCrea

Música por: Paul Dunlap

Fotografia: Rickard Tegström

 

Departamento de Música:

Maestro: George Fraser

Diretor musical: Paul Dunlap

Assistentes (de George Fraser): Herbie Allen, Cecil Broadhurst, Frances Hadden, Richard Hadden, John Hopcraft, Waldemar Smith

 

O Fator Esquecido, uma peça de Alan Thornhill

Para uso comercial, transmissão ou uma cópia em DVD deste material, entre em contato com comms.uk@iofc.org

Peça de teatro filmada que descreve um conflito entre líderes sindicais e diretores de fábrica, opondo duas famílias. O filho do diretor da empresa atua como um catalisador de mudança e diálogo entre o pai e o pai do amigo, o dirigente sindical. O filme termina com uma reconciliação entre os dois homens.

Elenco:

Richard Wilson, um industrial: Eric BENTLEY

Sra. Wilson, sua esposa: Alice TOOKER

Betty, sua filha: Ruth HANNON

Dick, seu filho: Stewart LANCASTER

 

Jim Rankin, um líder trabalhista: Howard REYNOLDS

Sra. Rankin, sua esposa: Phyllis KONSTAM

Polly, sua filha: Carol DEANE

Bobby, seu filho: David ALLEN

 

Joe Bush, um organizador sindical: Paul CAMPBELL

Mac: Harold SACK

Bob: Ron ROBERTS

Jack: Walter FARMER

Data da produção: 1952

 

Acenda a luz

Este filme está disponível gratuitamente apenas para visualização pessoal. As licenças são necessárias para uso sem fins lucrativos, educacional, governamental ou comercial; entre em contato com film.archives@iofc.org

Conferência na Ilha Mackinac, Frank Buchman dá as boas-vindas aos delegados. Discursos de Frank Buchman.

Data da produção: 1951

 

Voz do Furacão

Este filme está disponível gratuitamente apenas para visualização pessoal. As licenças são necessárias para uso sem fins lucrativos, educacional, governamental ou comercial; entre em contato com film.archives@iofc.org

Produtora: MRA Productions

Produtor: Scoville Wishard

Diretor: George Fraser

Elenco: Muriel Smith, Phyllis Konstam; Reginald Owen; William Close; Jane Wax; David Cole; William Pawley Jr.

História de uma família branca e sua cozinheira negra no contexto colonial africano. Baseado em uma peça de teatro que claramente tem ecos da luta nacionalista Mau Mau no Quênia.

Data da produção: 1964

 

Walking Buffalo – Jornada Mundial

Este filme está disponível gratuitamente apenas para visualização pessoal. As licenças são necessárias para uso sem fins lucrativos, educacional, governamental ou comercial; entre em contato com film.archives@iofc.org

O filme colorido retrata a jornada mundial de 1960 empreendida pelo chefe Walking Buffalo da Nação Stoney Nakoda, de Alberta, Canadá, e pelo chefe David Crowchild, da nação Tsuut'ina que, com suas famílias, viajaram para encontrar os povos indígenas do Havaí, Nova Zelândia, Austrália, África do Sul e Uganda. Vestindo seus distintos trajes tradicionais, foram recebidos com a mais alta distinção pelos líderes desses países. Patrocinado pelo Rearmamento Moral Internacional, o filme retrata os laços estreitos entre os povos indígenas em todos os lugares e os desafia a ocupar seu lugar de direito na sociedade.

O filme foi fotografado pelo canadense Robert Fleming, de Kingston, Ontário e narrado por Edward Devlin de Ottawa, Ontário - formalmente produtor da Canadian Broadcasting.