Sala Global de Notícias

Viagem de Gandhi apoia um Movimento de Construção de Confiança na Ucrânia

quarta-feira, 5. Maio 2010

Rajmohan Gandhi recebido por um tradicional coro ucraniano fora da Universidade Taras Shevchenko, Kiev. “A confiança não pode ter sucesso em uma semana, um mês ou talvez em até 10 anos, mas acho que o mundo deve saber que há um movimento por confiança na Ucrânia”.

As considerações finais de Rajmohan Gandhi para a Ucrânia foram a conclusão adequada para a primeira "Semana da Confiança", celebrada de Kiev a Crimeia entre 19 e 26 de abril. Gandhi e a Viagem de Diálogo e Descoberta foram os convidados especiais para apoiar o movimento popular liderado por Bases para a Liberdade (F4F), a equipe de IdeM local na Ucrânia.

Ao longo da semana, uma série de eventos ocorreu, incluindo diversas palestras, conferências de imprensa e fóruns públicos.

Depois de uma viagem de 20 horas de ônibus de Cluj-Napoca, Romênia, a delegação foi saudada por um tradicional coro ucraniano fora da Universidade Taras Shevchenko, Kiev. Cercado pela imprensa, uma comitiva de aproximadamente 40 pessoas atravessou a rua para o parque memorial de Taras Shevchenko. Depois de deixar algumas flores na estátua de Shevchenko, o grupo voltou à sala de aula para uma discussão sobre confiança.

Atenção da mídiaDurante suas observações, Wadiaa Khoury compartilhou três lições essenciais aprendidas durante a tentativa de construir a confiança em seu país, Líbano: em primeiro lugar, convicção de que todas as pessoas são igualmente sedentas por paz e segurança, em segundo, que cada pessoa é responsável por um esforço consciente para criar uma unidade, e em terceiro, que os tempos de forte tensão em um país não são tempos de isolamento legítimo.

Professor Gandhi continuou: “A confiança tem uma conexão maravilhosa com o ontem. Eu tenho a minha versão do que aconteceu ontem e você tem a sua versão do que aconteceu ontem. E quando eu digo que vou ter confiança, isso significa que eu estou colocando para trás o ontem. Ontem pertence ao passado. Hoje é um novo dia. Hoje eu vou confiar em você."

Em resposta a uma pergunta da platéia sobre os limites de confiança, Gandhi continuou: "Há um limite de confiança. Sim. Mas deve também haver um limite para a desconfiança. Hoje, temos de nos levantar e dizer que encontramos nosso limite de desconfiança."

No dia seguinte, Rajmohan e Usha Gandhi se reuniram com Viktor Yushchenko, o ex-Presidente da Ucrânia, antes de passar para um fórum público com o título "É difícil confiar? É fácil confiar?"

Um painel de respeitadas personalidades, incluindo um escritor, um filósofo e um ativista de direitos humanos, discutiu a idéia da confiança, a sua história na Ucrânia e seu lugar no futuro do país.

Um tema comum em todo o intercâmbio foi o lema da época soviética: "Confie, mas cheque". A psicologia resultante despertou uma resposta clara do escritor e editor, Evgen Svyerstyuk. "Estamos em uma crise de amor e confiança. Temos de superar o nosso legado. Eu cresci em uma escola de vida que enfatizava a desconfiança e estereótipos. Nós fomos criados longe da fé que fundou nossas tradições. Temos que superar essa herança. Mas essa revolução acontece dentro. Esta transformação ocorre dentro.”

Evgen Zakharov, um conhecido ativista civil e especialista em direitos humanos, disse: "Em muitos aspectos, os problemas da Ucrânia têm suas bases na desconfiança. A fonte dessa desconfiança é a falta de valores compartilhados. Dessa forma, os nossos valores não estão se unindo. Mas o caminho para a confiança mútua é possível quando se compartilha e se cria empatia.”

Após duas horas de discussões, o programa seguiu para os vencedores de um concurso de fotos sobre o tema da confiança, com uma recepção e música de um conjunto folclórico tradicional ucraniano e um grupo que mesclou a música tradicional ucraniana com poesia em sânscrito.

O ritmo acelerado continuou na península da Criméia, conhecida por sua diversificada população e desafiadora história de integração. Com o Bases para a Liberdade, a Viagem continuou a levantar a questão da confiança na agenda nacional.

No fórum público na antiga cidade grega de Hersones, à beira de Sevastopol, Rajmohan Gandhi foi o convidado de honra em outro fórum com o tema "Buscando confiança na sociedade multicultural da Criméia”Uma série de figuras públicas falou durante o evento, incluindo o editor de um jornal da Criméia, o chefe de um grupo social judeu local, um professor de teologia, um veterano da Segunda Guerra Mundial e um político da região.

A diretora da escola local pediu a audiência para iniciar logo ali. "A confiança é a maior parte da vida social e precisamos dela em todos os setores da sociedade. Para construir isso, precisamos começar em pequenos grupos: filhos e pais; vizinho a vizinho, você e eu."

Gandhi expressou a sua opinião, incentivando o diálogo numa região por vezes vazia de conversas honestas entre as pessoas divididas. "Se a minha consciência está limpa, não pode ser poluída por reunir-me com o outro, não será poluída por escutar e dialogar ... O mundo está gritando por histórias da reconciliação. Se encontrarmos a cura do passado, isto dará esperança para o futuro. Ucrânia pode encontrar a reconciliação na Ucrânia? Seria um exemplo muito poderoso para um mundo necessitado de exemplos."Rajmohan Gandhi com alguns da equipe de Bases para Liberdade na Ucrânia

A semana concluiu-se com dois dias e meio de reuniões regionais com o Bases para a Liberdade. Ao longo das reuniões, os jovens ucranianos falaram sobre a necessidade urgente de confiança e as medidas que estão tomando para criá-la na sociedade. Dois jovens na região central da Ucrânia estão construindo uma casa comunitária ecologicamente sustentável para o Bases para a Liberdade. Olka Hudz, uma jovem de Lviv, está coordenando um programa chamado "Ação Ucraniana: Curando o Passado", que visa trabalhar com os jovens para restaurar a confiança na Ucrânia, começando por si próprios.

Em conversa com os jovens de Simferopol, Usha Gandhi compartilhou seus sentimentos. "Não há vingança em todas as nossas histórias. Talvez esses sentimentos estão dentro de cada um de nós. Podemos querer vingança. Mas outras vezes somos inspirados a construir uma ponte ou vemos uma divisão e estamos motivados a conciliar. Cabe a cada um de nós. Qual será a força mais poderosa em nossas vidas?"

No seu discurso de encerramento ao Bases para a Liberdade, no final da Semana da Confiança, o professor Gandhi elogiou os esforços. "O país inteiro está falando sobre confiança. É uma coisa incrível que aconteceu."