O dilema de Darnella e o coração de IdeM

O dilema de Darnella e o coração de IdeM

terça-feira, 6. Abril 2021
Author: 

 

A adolescente cujo filme sobre a morte de George Floyd gerou protestos globais disse que “fica acordada se desculpando” com ele por “não fazer mais”. Darnella, agora com 18 anos, foi uma das quatro jovens testemunhas a depor no segundo dia do julgamento de Derek Chauvin. Tenho certeza de que todos podemos nos identificar com a angústia que ela deve sentir. Mas, como isso pode se relacionar com Iniciativas de Mudança (IdeM)?

Compartilhando histórias para fazer conexões

Quando as bombas explodiram no metrô de Londres em 2005, matando 52 pessoas, houve uma grande reação anti-muçulmana no Reino Unido. Conheci Musa Aliyu, um jovem estudante muçulmano nigeriano que estava profundamente preocupado com isso, assim como eu. Decidimos ir para a escola ‘sixth forms’ juntos, como parte de um programa que coordenei, para retratar uma narrativa diferente de trabalhar juntos com um mesmo ideal. Fomos a sessenta escolas.

 

Musa Aliyu and Howard Grace on a school visit

 

Uma história que Musa compartilhou com frequência foi que, durante um surto de violência na Nigéria, em que mais de 50.000 pessoas foram mortas, ele havia trabalhado como jornalista. Enquanto ele cobria uma história, uma multidão muçulmana atacou uma garota cristã. Parecia que ela seria morta. Musa, ele próprio um muçulmano, abandonou sua câmera e bloco de notas e interveio. A menina foi salva, mas no processo o braço de Musa foi quebrado e ele quase foi decapitado, antes de ser resgatado. Nos dois anos seguintes, ele se sentia traumatizado.

Os alunos que conhecemos nas escolas, muitas vezes em grupos de 100 a 150, ficaram impressionados e desafiados pelo que Musa compartilhou e pela coragem que ele teve que ter para a sua ação. Vários refletiram sobre suas próprias experiências de luta interior, que não parecia estar particularmente relacionada com a experiência que Musa havia compartilhado, e que de alguma forma tinha chamado a atenção deles.

Percebi o poder das histórias que ilustram experiências com as quais todos podemos nos identificar. Você não precisa ser muçulmano, cristão, ateu, negro ou branco para se identificar com a luta interna que Darnella enfrenta. Mas eu suspeito que, na situação dela, todos nós sentiríamos que não havia muito mais o que ela poderia fazer.

O centro espiritual; humanidade

Para mim, histórias como esta nos apontam para o coração espiritual de Iniciativas de Mudança, que é mais sobre experiência espiritual do que sobre crenças. A vida do fundador de Iniciativas de mudança, Frank Buchman, foi transformada quando o aspecto egocêntrico de seu orgulho tornou-se focado por uma visão de Jesus na cruz.

Essa experiência transformadora o libertou de sua raiva em relação a certas pessoas e o colocou em uma jornada que causou um grande impacto em todo o mundo. Ele já era um cristão profundamente comprometido, então essa experiência não era sobre conversão de crenças. E alguns que dedicaram suas vidas para trabalhar com a organização que ele inspirou eram de outras religiões, ou ateus e, como no meu caso inicialmente, eram muito antagônicos a qualquer religião.

Alguns de meus colegas podem ver o que aconteceu com Buchman de maneira diferente de mim. Mas, como eu vejo agora, o caminho de transformação com o qual me identifiquei foi uma experiência humana com a qual qualquer um poderia se relacionar. Não foi uma experiência cristã, nem uma experiência muçulmana, ou budista, ateu ou qualquer outra experiência religiosa. Foi uma experiência humana.

Existem muitos outros exemplos de pessoas que enfrentam seus dilemas pessoais, como Irene Laure, em seu ódio pelos alemães. Mas, onde quer que detectemos pessoas como Darnella, Musa, Buchman ou Irene Laure se deparando com suas lutas internas, lá está o cerne de IdeM, seja como consequência de fazer parte de nossa irmandade ou no curso da ampla diversidade de vida que todos nós encontramos como seres humanos.

Encorajamos pessoas de todas as religiões, ou sem nenhuma, a explorar o que significa construir pontes de confiança entre as divisões do mundo. No entanto, em IdeM, sentimos que o primeiro passo em direção à mudança global é a mudança pessoal, e isso vem por meio da reflexão sobre os motivos e comportamentos de cada um. Convidamos você a saber mais sobre nós e como se envolver com IdeM – sinta-se à vontade para entrar em contato com sua equipe local!


Howard Grace

Howard Grace trabalhou com IdeM como voluntário em tempo integral por 14 anos após estudar física na universidade na década de 1960. Isso incluiu cinco anos na Índia e na Australásia e quatro anos na África do Sul durante a época do apartheid. Em 1979, depois de entrar em conflito com a polícia de segurança, ele retornou ao Reino Unido e se formou como professor, onde passou 15 anos ensinando matemática. Howard fundou e liderou um programa de realização de workshops em centenas de escolas Sixth Forms (de 16 a 18 anos) em todo o Reino Unido sobre questões relacionadas ao propósito de vida e motivação.

Ele também fez parte do corpo docente dos cursos de Bases para a Liberdade em cinco países do Leste Europeu e participou de empreendimentos na China, Sri Lanka e Índia. Ele continua ativo em uma ampla gama de atividades, especialmente relacionadas à paz e motivação espiritual, e em 2019 tornou-se o coordenador de Newbury do Progressive Christianity Network UK. Howard também é o produtor executivo do filme Beyond Forgiving.

NOTA: Indivíduos de muitas culturas, nacionalidades, religiões e crenças estão ativamente envolvidos com Iniciativas de Mudança. Esses comentários representam as opiniões do autor e não necessariamente as de Iniciativas de Mudança como um todo.