Painel de Veteranos

Geneva lake

Painel de Veteranos

Apoiando a rede mundial de Iniciativas de Mudança e o Conselho Internacional

O Painel Internacional de Veteranos foi formado na consulta global de 1999, na África do Sul, na mesma ocasião da formação do Conselho Internacional de Iniciativas de Mudança.

O mandato dos Veteranos visa a ser um "órgão de recurso" informal para apoiar a rede mundial de Iniciativas de Mudança e do Conselho Internacional.

Na Assembleia Global de 2018, como resultado de uma recomendação para expandir o papel dos Veteranos, foram desenvolvidos novos Termos de Referência que fazem um par de mudanças significativas.  Uma delas é que os Veteranos serão agora vinculados a seus próprios Grupos Regionais:  África, Américas (Norte e Sul - quando estabelecidos), Árabe, Ásia-Pacífico e Europa, para servir como representantes em todas as conferências e diálogos internacionais, conforme apropriado.  Também ampliar o envolvimento dos Veteranos no desenvolvimento de programas de acompanhamento e mentoria.  Estas mudanças permitirão um maior apoio ao trabalho do Conselho Internacional.

O Painel de Veteranos consiste em até doze indivíduos, com um amplo conhecimento e compreensão da comunidade mundial de IdeM, para encorajar o crescimento espiritual e, quando necessário, trabalhar pela cura e reconciliação dentro e ao redor da rede de IdeM.

Os Veteranos não servirão mais do que cinco anos e não menos do que dois anos. Seus mandatos visam tomar medidas proativas para preservar o espírito de IdeM e seu alcance efetivo, e também para fortalecer o acompanhamento nas atividades de IdeM.  Eles podem trabalhar e falar como indivíduos ou como grupo, mantendo a confidencialidade sobre os assuntos apresentados, mas têm a liberdade de discutir com outros veteranos, a menos que lhes seja solicitado que não o façam.

Membros

Barbara Lawler

Barbara Lawler (Austrália) (Convocadora)

Barbara nasceu em Brisbane, onde inicialmente se deparou com Iniciativas de Mudança quando tinha 21 anos. Ela passou por uma transformação pessoal para uma direção nova e construtiva em sua vida e em sua grande família. Passou a trabalhar como voluntária em tempo integral com IdeM de 1970 a 1985 na Europa, Índia e Austrália. Barbara tem mais de 20 anos de experiência em Recursos Humanos e Relações Industriais em duas das maiores organizações de mídia da Austrália, em Sydney (aposentou-se da Australian Broadcasting Corporation em junho de 2011), onde obteve o mestrado em Negócios (Relações de Trabalho). Ela se mudou de Melbourne para Brisbane em abril de 2017.

Desde 2003, Barbara tem sido particularmente inspirada por muitas visitas à Indonésia e ao Timor-Leste, trabalhando com a jovem equipe de IdeM. Ela tem o chamado de construir pontes de confiança e amizade entre a Austrália e seus vizinhos. Ela sente que a Indonésia tem muito a dar ao mundo por meio de sua luta pela democracia e por sua liderança islâmica sólida e verdadeira que, por sua vez, constrói pontes de confiança entre as divisões do mundo.

De 2010 a 2014, Barbara foi coordenadora nacional de IdeM Austrália. Depois disso, desempenhou funções em uma nova estrutura organizacional de IdeM Austrália e, atualmente, em um papel transitório de Convocadora, Rede de contatos, Atividades e Conexões. Ela também é a representante de Queensland no Grupo Consultivo Nacional de Criadoras de Paz Austrália.

Barbara é apaixonada por apoiar a transição e o crescimento em curso de IdeM como um canal de valores transformacionais e capacitadores necessários no mundo, trazendo sua abordagem dinâmica e única de conectar o pessoal com o global.

Marie Chaftari

Marie Chaftari (Líbano)

Marie, que é graduada em Administração de Empresas pela Universidade St. Joseph’s, conhece e trabalha com IdeM Líbano há muitos anos e está no centro de muitas iniciativas envolvendo mulheres de diferentes origens. Foi sua experiência de mudança que levou à notável transformação de seu marido, Assaad.

Ela é uma facilitadora de Criadoras de Paz e lançou um grupo de mulheres “L’naltaqui” para facilitar o diálogo entre as mulheres após a guerra. Este é o grupo que está no centro dos Círculos de Paz no Líbano. Marie também faz parte de uma equipe que realiza acampamentos para jovens adolescentes de diferentes origens, para se encontrarem e se conhecerem durante as férias de verão.

Marie alimentou e cuidou de jovens muçulmanas do Egito e também de uma jovem (e sua crescente equipe) da Síria, mantendo contato com elas e cuidando delas durante as visitas, bem como hospedando-as em sua casa. Ela tem um grande talento para cuidar das pessoas e apoiá-las enquanto permite que cresçam e se desenvolvam. Ela é muito respeitada por sua integridade, honestidade e experiências pessoais que prontamente compartilhou quando necessário para ajudar os outros.

Christine Iralu

Christine Iralu (Nagaland)

No início dos anos 60, a família de Christine migrou de Mumbai, na Índia, para Perth, Austrália, onde ela conheceu Iniciativas de Mudança quando o musical Cante Austrália passou, a caminho da Índia. Para envolver todos os jovens novos e interessados, incluindo Christine, o Cante Oeste foi formado, viajando para cidades na Austrália Ocidental e compartilhando suas experiências iniciais de mudança com as músicas que aprenderam.

Christine estava estudando música em Perth na época e estagiando como secretária, que ela praticou quando começou a trabalhar em tempo integral com IdeM, aos 18 anos. Ela trabalhou como secretária no escritório de Melbourne por alguns anos e viajou com o Nada a Declarar em sua viagem de volta para a Índia, em seguida, para a Europa, onde passou 3 anos no Reino Unido trabalhando como secretária. Ela teve o privilégio de se juntar ao elenco de “Encruzilhada”, uma produção multimídia que contou a história de IdeM.

Retornando à Índia para se juntar ao Música da Ásia, viajou com o elenco pelo país até o fim da turnê do programa. Ela então se casou com Niketu e, em 1995, se mudaram para o Nordeste da Índia, onde ainda residem. Nas palavras de Christine, “Nossa casa em Nagaland se tornou um lugar para onde as pessoas vêm de toda a região Nordeste e de outras partes da Índia. Nós a chamamos de Kerünyü Ki, que na língua angami de Niketu significa “Casa da Escuta”. É um lugar onde as pessoas se reúnem para planejar, ouvir umas às outras e resolver problemas por meio da honestidade, humildade e abertura.”

Ravindra Rao

Dr Ravindra Rao (Índia)

O Dr. A.S. Ravindra Rao está envolvido com Iniciativas de Mudança desde 1964. Capturado pela visão de uma Nova Índia e um Novo Mundo projetada por Rajmohan Gandhi, ele interrompeu seus estudos odontológicos em 1965 e trabalhou como voluntário em tempo integral no MRA-IdeM por dez anos, trabalhando em muitas partes da Índia e no exterior. Ele fez parte do musical A Índia se Levanta, que fez uma turnê pela Índia, Oriente Médio e Europa, nos anos 60. Seu trabalho no Leste indiano resultou em militantes de extrema esquerda aceitando IdeM e entregando suas armas.

Depois de se casar com sua colega de trabalho do MRA, Jayashree, e uma temporada em um Hospital Odontológico no Reino Unido, eles se mudaram para Bangalore. Ele começou e administrou uma empresa de vendas de máquinas, ferramentas e serviços. Começou sua prática odontológica particular logo se destacando na profissão e sendo pioneiro em implantodontia no sul da Índia. Ele organizou a primeira Conferência de Implantologia Oral de Bangalore e foi eleito para o Comitê Executivo da Asssociação Odontológica Indiana. Ele também foi um rotariano de destaque e ganhou o prêmio internacional de “Melhor Presidente”. Seu compromisso com IdeM orientou sua vida profissional, social e familiar. Ele também serviu no Conselho Internacional de IdeM.

Quando Jayashree, sua esposa, pensou em criar a Grampari, a iniciativa rural e ecológica de IdeM Índia em Asia Plateau, os dois decidiram se aposentar para trabalhar em tempo integral mais uma vez em 2009 e se mudaram para Panchgani, quando ele se tornou o diretor do centro. Ele fazia parte do Conselho Internacional de IdeM e continua sendo um curador de Amigos do Rearmamento Moral (Índia), o órgão legal de IdeM da Índia. Enquanto utilizava seu tempo como mentor de jovens, ele desenvolveu maneiras de transmitir a mensagem de IdeM com base nas tradições indianas e outras tradições asiáticas em uma linguagem contemporânea.

Megumi Kanematsu

Megumi Kanematsu (Japão)

Megumi nasceu em 1952 e foi criada em Tóquio, onde se formou em Educação pela Universidade de Tamagawa e fez mestrado em Segurança Humana pelo Departamento de Ciência Política, pela Universidade Doshisha Graduate.

Em 1974, ela participou de sua primeira Conferência Internacional de IdeM em Caux e posteriormente treinou com IdeM no Reino Unido. Em 1975, durante uma turnê pela Europa e Canadá com o musical Música da Ásia do MRA, ela fez amigos para a vida toda na Ásia e no Pacífico, bem como em outros continentes. Através de suas histórias de vida, Megumi se deu conta do que o Japão havia feito com outras pessoas na Ásia e ao redor do mundo, e decidiu dedicar o resto de sua vida para espalhar a mensagem de IdeM. Ela trabalhou em tempo integral por três anos e meio com IdeM no Brasil, ao lado da equipe latino-americana.

Retornando à Ásia, Megumi trabalhou por cinco anos com cambojanos, budistas coreanos e cristãos japoneses. Ela ajudou a desenvolver uma equipe de apoio para que as gerações mais jovens de cambojanos tivessem acesso à educação, mas também ajudou a incentivar os agricultores a fazerem sua parte na construção de uma sociedade melhor.

Nas palavras de Megumi, “Como uma japonesa comum, busquei construir pontes de confiança na Ásia e no mundo. Vivo pela convicção de que, aprendendo juntos, todos podemos descobrir mais sobre nossas próprias forças. Onde quer que estejamos e em qualquer situação em que estejamos, as pessoas ao redor do mundo serão capazes de realizar seu potencial único e terão a força para trazer luz a este mundo necessitado. Esta parte do mundo (Japão e Ásia) ainda não foi capaz de oferecer seus próprios pontos fortes para responder às necessidades do mundo.”

Daphrose Ntarataze Barampama

Daphrose Ntarataze Barampama (Burundi/Suíça)

Daphrose nasceu em 1956 na província de Kayanza, no Burundi. Filha única de uma modesta família cristã, ela cresceu com privilégios. Ela compartilha sua vida com seu marido Angelo Barampama e eles têm 3 filhos.

A sua forte posição política no Burundi forçou-a para o caminho do exílio em 1988; depois, para a Suíça, que ofereceu proteção e asilo político, e onde se naturalizou suíça em 2001. Daphrose tem orgulho de ser uma boa suíça e também burundiana. Foi vencedora do prêmio “Mulher no Exílio, Mulher Comprometida” da cidade de Genebra em 2007. Ela também é homenageada, desde agosto de 2016, com o título de Embaixadora por Criadoras de Paz, da qual foi Presidente de julho de 2013 a 2016.

Na década de 1990, ela se juntou a Iniciativas de Mudança através do GRETA (Grupo de Pesquisa e Engajamento na Turbulência Contemporânea), com base em Genebra. Foi a partir daí que ela se envolveu com Criadoras de Paz (CoP) após participar de sua conferência internacional em Kampala, Uganda, em 2005.

Empreendendo treinamento para apoiar CoP, ela se tornou uma facilitadora certificada de círculos de paz em 2009. Ao se tornar uma voluntária internacional de Criadoras de Paz, ela promoveu círculos de paz para públicos multiculturais na Europa (Suíça e França) e na África francófona: Burundi, Camarões, Mali, Mauritânia e República Democrática do Congo. Ela utilizou a metodologia de CoP para facilitar o diálogo honesto entre os líderes das várias facções políticas e de luta em Casamance/Senegal.

Atualmente, Daphrose é responsável pelo projeto Muntunuwundi - círculos de paz e desenvolvimento, baseados no valor do Ubuntu universal, acessível ao público da Região dos Grandes Lagos. Ela também desempenha o papel de mentora para muitas equipes de Iniciativas de Mudança na África.

Roy Edward Ncube

Roy Edward Ncube (Zimbábue)

Roy foi apresentado a Iniciativas de Mudança no Centro MRA/IdeM em 1985, na Fazenda Coolmoreen, que fica em Gweru, Zimbábue, como estudante da área industrial. Após a formatura, ele ensinou Agricultura em escolas secundárias em Harare e Bindura por dois anos e, durante esse tempo, manteve ligações com IdeM. Em janeiro de 1988, ele e sua esposa, Tafadzwa, foram convidados pelo Conselho de Administração para a Fazenda e Centro de Conferências Coolmoreen, em Gweru, para administrar as unidades agrícolas que incluíam laticínios, criação de aves e empresas agrícolas.

Roy aprendeu muito sobre IdeM e agricultura comercial com os falecidos Peter e Jean Loch, juntamente com o falecido professor emérito Jesse Williams, que era um especialista em laticínios dos Estados Unidos. Devido à sua experiência de IdeM na Coolmoreen, ele decidiu viver uma vida guiado pelos valores de IdeM. Foi durante sua gestão que a fazenda viveu seus anos mais produtivos na era pós-independência. Depois de cinco anos na Coolmoreen, uma nova vocação levou ele e sua família para o Botswana. Trabalhou durante 15 anos para o Governo do Botswana, onde esteve envolvido em várias funções, introduzindo a Agricultura nas escolas secundárias em todo o país.

Depois de lecionar Agricultura em escolas secundárias no Zimbábue e em Botswana por quase 20 anos, ele se aposentou do emprego ativo, mas mantém o interesse em métodos agrícolas sustentáveis ​​e desenvolvimento rural. Roy fez parte do grupo Workshop para a África em 2013, que o levou e a seus companheiros de equipe ao Sudão do Sul para esforços de mobilização pela paz. Atualmente, é o Secretário-Geral do MRA/IdeM Zimbábue e está envolvido nos esforços para recuperar o Centro de IdeM no Zimbábue, que foi retirado pelo governo para fins de reassentamento. Ele também é o Coordenador do Grupo de Coordenação Africano (ACG).

Teresa Luckhurst

Teresa Luckhurst (Reino Unido)

Teresa nasceu em Sheffield em 1966 e foi criada em uma comunidade católica. Teresa optou por não ter filhos devido a circunstâncias pessoais. Teresa é tia de 5 meninas, tia-avó e madrasta. Teresa casou-se e separou-se e hoje vive com um companheiro há 19 anos.

Teresa teve uma vida profissional variada, tendo trabalhado como auxiliar de cuidados, assistente de apoio à família com Crianças e Famílias e, nos últimos 10 anos, como secretária clínica do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Atualmente, ela é funcionária de apoio a cuidados de saúde avançados, cuidando de adultos com dificuldades de aprendizagem e necessidades adicionais de cuidados de saúde com o NHS. Um dos valores do NHS é trabalhar em parceria; Teresa está envolvida na arrecadação de fundos e hospeda membros da Gulu Fellowship quando eles visitam Sheffield para treinamento em saúde mental, antes de retornar a Uganda.

Teresa ganhou um BSc (Honra ao Mérito) em Psicologia pela Universidade Open, em 2017. Dando continuidade a essa conquista, enquanto trabalhava em tempo integral, Teresa está agora fazendo pós-graduação em aconselhamento centrado no relacionamento.

Teresa conheceu o trabalho de IdeM através de Judith e David Curtis. Teresa está ativamente envolvida com IdeM nos últimos 17 anos.

Florence Nosley

Florence Nosley (França)

Florence nasceu em 1952 e passou a maior parte de sua infância no exterior, nos Estados Unidos, Líbano e Argélia. Aos 12 anos, percebeu que era francesa, mas mal conhecia seu próprio país. Aos 15 anos, ela se mudou para a França e um ano depois, descobriu o Rearmamento Moral (agora Iniciativas de Mudança). Uma de suas primeiras mudanças foi abrir-se para a França, que ela ansiava por descobrir, mas à qual achava difícil se adaptar.

Ela percebeu que “portas grandes giram em pequenas dobradiças” e que a escuta interior pode levar a mudanças pessoais. Essas mudanças, que parecem pequenas no início, podem ter consequências muito maiores. Seu primeiro momento de “pequena dobradiça” foi seguir o pensamento de que ela precisava se desculpar com alguém. Ao seguir essa orientação interior e buscar o perdão, ela começou a trilhar um novo caminho de vida.

Após seus estudos de secretariado, ela trabalhou em tempo integral com Iniciativas de Mudança por 13 anos. Trabalhou na Europa, participou de duas mostras itinerantes: “Tempo para Escolher”, na Europa e no sul da África, e “Homem rico, Homem pobre”, na Europa e na América do Norte. Ela também viveu alguns meses na América Latina com Jean-Louis, com quem se casou em 1983; eles tiveram quatro filhos. Após vários anos ensinando em escola primária, ela se aposentou, em julho de 2018.

Lorne Braun

Lorne Braun (Canadá)

Lorne vem de uma tradição Anabatista Menonita. Essa educação imigrante e religiosa ajudou a moldar sua visão de mundo e determinou suas escolhas de vida.

Com treinamento em teologia, linguística, tecnologia de construção e análise de conflito político e étnico, a experiência de trabalho de Lorne inclui inspeção de construção, ensino e gestão sem fins lucrativos: trabalho e consultoria com ONGs, com o setor privado e com o governo canadense.

Ele viajou muito, incluindo três anos de trabalho na Etiópia. Suas várias situações de trabalho incluem coaching e tutoria, alguns dos quais ele continua a fazer como voluntário.

Lorne atua em IdeM há mais de 30 anos, alternando entre o enfoque doméstico e o internacional. Ele esteve no conselho de IdeM Canadá em várias ocasiões e também trabalhou por seis anos como Tesoureiro do Conselho Internacional.

Tendo recentemente encerrado seu trabalho de consultoria humanitária internacional, após 24 anos, Lorne e sua esposa Joyce fazem parte de uma comunidade que opera o Centro de Retiro Rivendell, na costa oeste do Canadá.

Fung Ming Chan

Fung-Ming Chan (Hong Kong)

Fung Ming se associou aos programas de MRA/IdeM na Austrália, Europa e Índia em meados dos anos 80.

Engenheira de produção por formação, ela lecionou no ensino superior no Reino Unido por 5 anos, depois na educação vocacional de Hong Kong por mais 23 anos até sua aposentadoria, em 2018.

Desde 2001, os participantes dos programas "Ação pela Vida" e "Chineses em Ação" vinham a Hong Kong como um de seus projetos de extensão. Fung Ming ajudou ativamente a organizar visitas e atividades para esses dois programas. Ela agora atua como uma Life Worker com foco na área de Treinamentos de Sensibilidade Vital e Cura Profunda.