Notícias

William Morris, Kelly Burks and Imad Karam at the launch of "The man who built peace" in the British Parliament.

Trazendo Frank Buchman de volta ao mundo

sexta-feira, 22. Junho 2018
Author: 

Um documentário premiado sobre Frank Buchman, iniciador do movimento agora conhecido como Iniciativas de Mudança, foi lançado no Parlamento Britânico esta semana, e depois para uma grande audiência pública no centro de Londres. Produzido pelos cineastas Imad Karam e Kelly Burks, O Homem que construiu a paz já ganhou cinco prêmios internacionais.

The Duke of Montrose, Carolyn Hayman, Imad Karam and Kelly Burks in Parliament
O Duque de Montrose, Carolyn Hayman, Imad Karam e Kelly Burks no Parlamento

Apresentando o lançamento no Parlamento, o Duque de Montrose disse: “Frank Buchman começou a refazer o mundo e só é possível entender sua vida no contexto desse objetivo. Este filme concentra-se particularmente em sua contribuição para curar animosidades após a Segunda Guerra Mundial, pela qual ele foi condecorado pela França, Alemanha, Japão e Filipinas.”

Carolyn Hayman, co-fundadora da Peace Direct, apresentou o filme aos membros do Parlamento, assistentes de pesquisa e outros presentes. “Buchman fazia parte de um grupo de líderes extraordinários que inclui Mahatma Gandhi, Badshah Khan (conhecido como a Fronteira Gandhi), Martin Luther King e a laureada com o Prêmio Nobel Leymah Gbowee que reuniu as mulheres da Libéria para fazer a paz. Essas são estrelas no mundo da manutenção da paz.”

“Mas assim como no céu noturno você vê milhões de estrelas menores, em todo o mundo as pessoas estão construindo a paz em seus conflitos locais, usando as técnicas que Buchman adotou – transformação pessoal e autoconhecimento como início da transformação da sociedade, escuta paciente, empatia, o desejo real de entender como o mundo é a partir de um outro ponto de vista.

Dois dias depois, o lançamento público na Royal Geographical Society contou com 270 pessoas, incluindo diplomatas de vários países. Kelly Burks, coprodutora do filme, abriu a noite com estas palavras: “Cada porta trancada em qualquer parte do mundo está trancada na ausência de amor. É nossa responsabilidade coletiva abrir portas em todos os lugares do mundo de uma forma amorosa.”

William Morris, secretário-geral da Fundação Next Century, apresentou o filme e contou o que havia aprendido com ele. Quando viu o filme, ele estava em disputa amarga com um administrador da Fundação. Seguindo o exemplo de Buchman, ele reconheceu que sua amargura e sua auto justificação faziam parte do problema e escreveu uma carta de desculpas. A disputa terminou amigavelmente.

Danny from Brixton sharing
Danny, da partilha de Brixton

Após a exibição, um homem de meia-idade ficou de pé. “Até este ano eu estava cumprindo prisão perpétua por assalto à mão armada”, disse ele. Eu era alcoólatra e viciado em drogas, um homem destroçado. Alcoólicos Anônimos me ajudaram. Eu clamei a Deus, e a mensagem que recebi foi que eu deveria me purificar. Comecei a praticar os princípios do AA – que se originaram com Buchman – e encontrei a serenidade. Outros no mesmo estado que eu foram atraídos pelo que encontrei e começaram a ficar limpos. Agora tenho meus netos de volta e uma vida decente. Para mim, é fundamental transmitir esse modo de vida, começando pelos jovens.

Um membro trabalhista da Câmara dos Lordes disse que estava “extraordinariamente grato” pelo filme com sua mensagem de “voltar-se para dentro de si e esperar a resposta chegar”. “Como usamos o filme”, ele perguntou, “para levar esta mensagem a uma sociedade que nos encoraja a só cuidarmos de nós mesmos e os outros que se virem?”

Amina Dikedi, da Nigéria, que encontrou Iniciativas de Mudança quando jovem, contou como isso a capacitou para curar um conturbado relacionamento com seu pai. Agora, como Presidente da ONG Criadoras de Paz, ela está ajudando mulheres em muitos países a descobrir as habilidades de pacificação. “Hoje, o trabalho que Buchman começou é mais relevante do que nunca”, disse ela.

Amina Khalid sharing
Amina Khalid compartilhando

Amina Khalid, Chefe de Programas Comunitários em Iniciativas de Mudança Reino Unido, mostrou como os métodos de construção de paz e reconciliação revelados no filme estão sendo usados hoje ao compartilhar seu trabalho vital com as comunidades de Londres sobre o crime com uso de facas e sobre radicalização. Ela também falou sobre o compromisso de IdeM de ajudar a encontrar maneiras de resolver a crise de refugiados no Reino Unido e na Europa. 

Concluindo a noite, o Dr. Karam, diretor do filme, disse que decidiu fazer o filme “porque Buchman é muito pouco conhecido hoje e eu queria trazê-lo de volta ao mundo”. E especialmente para a comunidade de Iniciativas de Mudança, da qual ele faz parte. “Neste país, como em outros, há um vácuo na liderança moral”, ele disse, “e não acho que estamos à altura do desafio. Este filme pode ajudar-nos a encontrar a inspiração de que necessitamos para sermos uma força do bem no mundo”.

Tradução por Paulo Zanol