Notícias

Vida longa ao Diálogo de Caux Sobre Terra e Segurança

domingo, 14. Julho 2013

Na manhã de quinta feira, 11 de julho, a Conferência Diálogo de Caux Sobre Terra e Segurança chegou ao fim, após cinco dias de discussões estimulantes e oficinas de trabalho sobre formas de melhorar o enfrentamento das questões ambientais urgentes que ameaçam o nosso planeta, dentre as quais uma das crucialmente importantes é a desertificação, e particularmente na região africana de Sahel. Martin Frick, embaixador e representante da Alemanha na ONU e em organizações internacionais, encerrou a sessão encorajando as pessoas a se engajarem na ação local, na expectativa de diálogos futuros.

Vida longa ao Diálogo de Caux Sobre Terra e Segurança

Iman Ashafa e alguns participantes de Sahel (Foto: Mirjam Beeler)Na manhã de quinta feira, 11 de julho, a Conferência Diálogo de Caux Sobre Terra e Segurança chegou ao fim, após cinco dias de discussões estimulantes e oficinas de trabalho sobre formas de melhorar o enfrentamento das questões ambientais urgentes que ameaçam o nosso planeta, dentre as quais uma das crucialmente importantes é a desertificação, e particularmente na região africana de Sahel. Martin Frick, embaixador e representante da Alemanha na ONU e em organizações internacionais, encerrou a sessão encorajando as pessoas a se engajarem na ação local, na expectativa de diálogos futuros.

Visando somar ao papel da Conferência Diálogo de Caux de 2013, esta plenária em particular retomou muitos dos pontos discutidos nos quatro dias anteriores, e focou no aspecto humano em primeiro lugar. Organizada num círculo de amizade e interação, a audiência se engajou e participou de um jeito muito animado, em torno dos temas sobre degradação da terra, gerenciamento das águas e assuntos de segurança humana. Martin Frick introduziu a plenária e o Imame Ashafa abriu a sessão com uma encenação metafórica de sua experiência pessoal na Nigéria. Ele enfatizou a mudança climática, mencionando as ilhas Maldivas: “Nós estamos afundando”, nas noções de valor, através da mudança pessoal e desmaterialização em busca da ação: “Nós precisamos colocar o nosso amanhã no nosso hoje”.

O “Diálogo de Caux sobre Terra e Segurança”, o primeiro com este nome, foi um grande sucesso pela sua organização e gerenciamento, e foi beneficiado pela presença de convidados ilustres de várias universidades, organizações e empresas, apenas para citar alguns como Peter Rundell, Bianca Jagger, Allan Savory, Luc Gnacadja, Martin Frick, Tony Rinaudo, David Addison, Simon Maddrell, Julia Marton-Lefèvre, Dennis Hamro-Drotz, Rattan Lal, Ahmedou Ould Abdallah e muitos outros.

Com destaque para a articulação entre IUCN (União Internacional pela Conservação da Natureza) e UNCCD (Convenção das Nações Unidas para Combater a Desertificação), cujo acordo foi assinado em 10 de julho por Luc Gnacadja (Secretário executivo, UNCCD) e Julia Marton-Lefèvre (Diretora Geral, IUCN), o diálogo recebeu grande apoio tanto da ONG quanto do setor das organizações internacionais.

Os organizadores da conferência encorajaram a audiência a manter contato com o Diálogos de Caux Sobre Terra e Segurança, para conferência futuras nos próximos anos. Finalmente, Edward Peters, vice-presidente de Iniciativas de Mudança Internacional, falou algumas boas palavras verdadeiras em torno dos objetivos gerais de toda a experiência de Caux e agradeceu aos organizadores do evento e ao seu trabalho excelente.

Martin Frick concluiu a sessão agradecendo a todos os envolvidos na organização, incluindo o moderador Peter Rundell, e também prestando um tributo especial ao diplomata algeriano Mohamed Sahnoun, presente no local, a quem mencionou que “representa um verdadeiro modelo e uma inspiração a todos os dispostos a tomar uma atitude”.

Tradução por Ana Cláudia Penna